ENTÃO É NATAL

ENTÃO É NATAL

Eis que chega mais um Natal e aqui estamos nós, celebrando o nascimento do menino Jesus, o Cristo que deu sua vida para pregar o bem, fazer milagres e levar a palavra de Deus àqueles dispostos a ouvir.

Jesus Cristo deu sua própria vida para nos salvar, de todo o mal, do caminho da perdição, das injustiças.

Muitos seguiram e seguem os ensinamentos de Cristo, mas ainda estamos muito longe de apreender e de aprender todo o legado que Ele nos deixou.

A História seguiu seu rumo e os homens, como sempre, se aproveitaram da palavra de Deus e, de acordo com sua própria ótica – geralmente deturpada – se autodeclararam representantes de Deus na terra. E vieram as guerras religiosas, a Inquisição, as Cruzadas, as catequizações forçadas…

Os homens, quando se autoproclamaram intérpretes e conhecedores da palavra de Deus, disso se serviram para, em Seu nome, cometer as mais terríveis perseguições e injustiças contra aqueles que pensavam diferente, que possuíam crenças diferentes.

O homem. Ah, sempre o homem, com sua ganância e malícia, com sua vileza e avidez, com seu rancor e preconceito!

Mas é Natal. E que nesse Natal possamos focar no bem, na virtuosidade, na gentileza, na caridade, naquilo que podemos extrair de melhor dentro de nós mesmos, porque precisamos fazer isso para que nossa esperança em um mundo mais justo jamais se perca, por mais que fraquejemos em alguns momentos.

Nesse Natal, que possamos olhar para trás e encontrar mil e uma razões para agradecer, apesar dos dissabores e dos tormentos.

Que possamos olhar para a frente e acreditar que seremos melhores e que o mundo será um lugar bem mais interessante de se viver.

Que possamos enxergar o próximo e amá-lo, e se impossível, pelo menos não hostiliza-lo.

Que possamos entender que o diferente deve ser respeitado, mesmo que não compartilhemos de seus pensamentos ou maneira de agir, porque a verdadeira grandeza humana está em aceitar o diferente.

Que possamos rir mais, porque nascemos para sermos felizes, mesmo que alguns não acreditem nisso e insistam em nos fazer chorar.

Que possamos ser quem realmente somos, sem medo, sem máscaras, porque se nos escondemos de nós mesmos, estaremos ocultando nossa própria essência, e isso não muda, por mais que tentemos mascarar.

Enfim, que esse Natal seja pleno de paz e de harmonia e que o vejamos como mais uma oportunidade de fazermos algo de melhor em nossas vidas.

E viva o aniversariante : Jesus Cristo!

Grecianny Carvalho Cordeiro

Promotora de Justiça

Deixe uma resposta