FAKE NEWS

Fake News é o termo do momento. Ou melhor dizendo, num bom português: notícias falsas.

Em tempos de coronavírus e de eleições de 2020, com o olho já em 2022, fake news podem ser o melhor e o pior, para uns e para outros.

Para quem bem sabe usar, as fake news podem fazer um candidato ganhar as eleições, ou perder; podem também levar à morte, ou a um quadro favorável de saúde.

Tudo dependerá da capacidade de cada um de fazer uso do bem e do mal, da verdade e da mentira, da sinceridade ou do embuste.

Tudo dependerá, também, da intenção de uns e de outros em espalhar e divulgar as reportagens e posts que recebem em seus e-mail ou redes sociais, desconsiderando o fato de serem descabidos ou não.

Porque fake news nada mais é do que o resultado de nossa incapacidade de pensarmos por nós mesmos, de analisar uma notícia que nos chega, de repassar aquilo que não temos certeza mas queríamos que fosse verdadeiro, ou sabendo falso, só para ver o estrago…

Porque fake news nada mais é do que o resultado de um conformismo ou inconformismo latente, de um desejo incontrolável de passar adiante algo que possa ajudar ou prejudicar alguém que estimamos ou odiamos, para modificar ou não fatos capazes de influenciar o mundo real, de acordo com nossa conveniência e nossos interesses.

Mas existem fakes news providas de algum sentido, a despeito de inverídicas; outras, completamente descabidas. Ainda assim, para muitos, isso não importa, o que vale é repassar, instalar o caos, mesmo que depois alguém mais responsável pesquise e esclareça que a notícia é falsa. “Apenas repassei a notícia que chegou a mim; se é falsa ou não, não sei; quem quiser que pesquise”. “Repassei essa notícia, mas não sei se procede”.

Talvez, para nós brasileiros, as piores notícias do momento são as verdadeiras: os vários gestores presos e processados por superfaturarem preços de equipamentos e hospitais destinados ao combate à pandemia; o senador com lobo-guará na cueca que pede licença e o filho assume seu lugar; a legião de eleitores seguindo seus candidatos em carreatas e bandeiraços; o flagrante desrespeito ao meio ambiente; a politicagem extremada e sem sentido feita em torno do coronavírus… ah, se esses escândalos fossem fake news!

Lamentavelmente, nós brasileiros, estamos entre a cruz e a espada: a dolorosa verdade de um país enlameado por tantas tramoias e os perniciosos efeitos provocados pela chuva de fake news que invadem nosso cotidiano.

 

Grecianny Carvalho Cordeiro

Promotora de Justiça

Deixe uma resposta