O PREÇO DA VERDADE
A verdade é para poucos, para os corajosos.
A verdade implica em enfrentar pessoas poderosas e influentes, jogos de poder e pelo dinheiro.
Alguém é capaz de avaliar o alto preço cobrado àqueles que se dispõem a investigar crimes de alta complexidade, envolvendo pessoas influentes e empresas multimilionárias?
No episódio da "Operação Carne Fraca", desencadeada pela Polícia Federal, o governo brasileiro se empenha em desacreditar o trabalho da Polícia Federal e enaltecer a qualidade do produto brasileiro, exportado para países do mundo inteiro.
Confie no sistema! Diz o Ministro da Agricultura.
Nas entrelinhas, diz o Ministro: não confie na Polícia Federal.
Como confiar no sistema? Se nada nesse país é confiável? Se agentes públicos e empresários – mais uma vez – se valem da velha propina para que seus interesses sejam atendidos?
Como confiar no sistema? Se os grandes frigoríficos são financiadores de partidos políticos e de campanhas políticas?
As críticas às informações dadas pela Polícia Federal à imprensa sobre tal operação são massacrantes à instituição.
O povo brasileiro não tem o direito de saber da qualidade da carne e demais produtos que consome a preços absurdos?
Essas informações têm que ser dadas, vazadas e alardeadas.
É direito nosso. Do povo brasileiro. Do consumidor.
O governo sai em defesa das empresas frigoríficas e sai em ataque ao trabalho da Polícia Federal.
Estranho isso.
Como diria, Shakespeare, em Hamlet: "existe algo podre no reino da Dinamarca."
Grecianny Carvalho Cordeiro
Promotora de Justiça e Escritora
O PREÇO DA VERDADE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *